Tecnologias Inclusivas e Inovação Social
  • UFSC Araranguá apoia o Abril Indígena

    Publicado em 19/04/2018 às 12:22

    UFSC Araranguá apoia o Abril Indígena


  • I Seminário Internacional Conexão Escola-Mundo – Tecnologias Digitais e Educação em Direitos Humanos

    Publicado em 12/03/2018 às 18:44

    http://escolamundo.ufsc.br/pt-br/evento/

     

    Educação para os direitos humanos em debate na UFSC
    Universidade recebe pesquisadores de todo Brasil e exterior em evento gratuito e aberto ao público
    Entre os dias 26 e 29 de março, acontece na Universidade Federal de Santa Catarina o I Seminário Internacional Conexão Escola-Mundo: espaços inovadores para a formação cidadãO tema do seminário é a educação em direitos humanos, a partir da perspectiva da ética hacker – que se baseia nos princípios da colaboração, compartilhamento, descentralização e de preocupação com um mundo melhor.
    O evento tem os seguintes destaques, todos abertos ao público:
     
    – Conferência com  Nelson Pretto (Aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em Educação)

    Professor Titular (e ativista) da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, Pretto é um dos expoentes nacionais nas reflexões por uma educação orientada por práticas colaborativas e de uma ciência aberta e cidadã.

    Dia: 26 de março

    Horário: 09h

    Local: Auditório do EFI

    – Mesa redonda 1: Os desafios da escola na educação aberta

    Antonio Bartolomé (UB/Espanha)

    Josalba Ramalho Vieira (Colégio Aplicação/UFSC)

    Cristina Kavalkievicz (Sec. Municipal de Educação, Lauro de Freitas/BA)

    Moderador: Nelson Pretto (UFBA)

    Dia: 27 de março

    Horário: 09h

    Local: Auditório EFI

    – Mesa redonda 2: Direitos Humanos e formação para a cidadania

    Fábio Goveia (UFES)

    Fernanda Lapa (IDDH/Univille)

    Marianita Pereira (Sec. Municipal de Educação, Joinville/SC)

    Moderadora: Andrea Lapa (UFSC)

    Dia: 28 de março

    Horário: 09h

    Local: Auditório do EFI

    –  Conferência internacional com Antonio Bartolomé (Universidade de Barcelona): Blockchains para una Educación Abierta: ¿Oportunidad o Amenaza?”

    Professor titular da Universidade de Barcelona (desde 1988). Catedrático de Universidade (Aneca, 2010) de Investigação avançada. Diretor do Instituto de Investigação em Educação da Universidade de Barcelona (desde 2016).

    Dia:  28 de março

    Horário: 19h

    Local: Auditório do EFI

    Sobre o I Seminário Internacional Conexão Escola-Mundo: espaços inovadores para a formação cidadã

    O Seminário articula direitos humanos e cultura colaborativa para refletir sobre os desafios e possibilidades que se apresentam para a educação na conjuntura da cultura digital.

    O evento é uma ação multidisciplinar, nacional e internacional, que contempla reflexões sobre  Escola hacker/educação hacker; educação para a cidadania
    e direitos humanos na cultura digital; formação de Professores; políticas públicas em educação e institucionalização (da educação hacker em DH); e uso e
    desenvolvimento de Ferramentas digitais da educação hacker.

    A proposta deste seminário é, a partir de uma perspectiva crítica, constituir um espaço para debates e trocas de experiência, de diálogo acerca de espaços inovadores para a formação cidadã, assim como, discutir  políticas públicas de combate às desigualdades produzidas e reproduzidas, principalmente no sistema educacional.

    O encontro dos especialistas que irão compor a programação do evento fundará as bases para um projeto de investigação, a ser desenvolvido pelos próximos três anos, que tem por objetivo a aproximação universidade-escola para problematizar os desafios da educação na atualidade e encontrar, na integração de TIC e em uma ação de residência docente em escolas, um novo paradigma para a educação contemporânea.

    Realização: UFSC e UFBA; Apoio: Fapesc e CNPq

    Site do Evento: escolamundo.ufsc.br/evento


  • Edital negócios sociais – Social Enterprise

    Publicado em 08/03/2018 às 16:32

    https://www.nesst.org/

    CHAMADA NESST EMPOWERS

    Inscricao ate 16 de marco

    A NESst esta com uma chamada aberta a procura de negocios sociais para
    integrar seu programa NESst Empowers. O edital apoiara projetos com ate 50 mil
    dolares,  e  uma consultoria para os contemplados, afim de capacita-los para
    promover a sustentabilidade financeira do projeto.
    Podem participar empresas sociais que possuam solucoes de treinamento e
    insercao de jovens em situacao de vulnerabilidade no mercado de trabalho no
    setor hoteleiro e similares.

    Mais informacao em https://www.nesst.org/


  • Edital da Fundação Nexus

    Publicado em 08/03/2018 às 16:25

    FUNDACAO NEXANS RECEBE PROPOSTAS

    Inscricao ate o dia 10 de abril

    Estao abertas as inscricoes para o edital da Fundacao Nexus, que tem como
    objetivo apoiar projetos que combatam a inseguranca e a pobreza no mundo por
    meio do acesso a energia. O financiamento e de ate 30 mil euros.
    O edital tem como objetivo proporcionar a comunidades em desvantagem os
    servicos que sao essenciais para o desenvolvimento humano, social e economico
    – sempre por meio do acesso a energia.
    Propostas podem ser enviadas online, em ingles ou frances.
    Mais informacao em http://fondationnexans.com/en/

    http://fondationnexans.com/en/


  • Tecnologias contra o discurso de ódio

    Publicado em 28/02/2018 às 20:05

    http://saferlab.org.br/

    SaferNet, ONG apoiadora do Pacto Universitário de Educação em Direitos Humanos, lança iniciativa para promover a produção de conteúdo que valorize o respeito e a diversidade


  • Mestrado no interior de SP desenvolve cartilha para escolas da educação básica

    Publicado em 19/02/2018 às 19:04

    http://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8752-mestrado-no-interior-de-sp-desenvolve-cartilha-para-escolas-da-educacao-basica

    O Programa de Mestrado em Direito do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal), com sede na cidade de Lorena, atua desde 2013 junto à educação básica por meio do desenvolvimento de cartilhas de direitos humanos, com enfoque em questões ambientais, violência na escola (bullying), além de trazer de forma objetiva e ilustrativa os direitos humanos dos idosos, crianças, adolescentes e pessoas com deficiência. As publicações são apresentadas e distribuídas nas escolas públicas municipais e estaduais, em escolas particulares da região e em eventos promovidos pelo programa de mestrado.

    14022018 materia cartilha dh Foto 5
    Cartilha Direitos Humanos e Bullying é utilizada em evento com os estudantes da Escola Municipal Adelina Alves Ferraz (Foto: Unisal)

    A última edição da cartilha, lançada em novembro de 2017, foi sobre “Direitos Humanos e Juventude”. A iniciativa conta com a parceria da Prefeitura de Lorena, além do apoio da iniciativa privada para impressão dos documentos. “Geralmente são impressos de 2.000 a 3.000 exemplares de cada cartilha. O objetivo é a busca da inserção social e a integração do Programa de Mestrado em Direito com a sociedade e com a comunidade estudantil e educativa da educação básica e do ensino fundamental”, explica a coordenadora do PPG em Direito do Unisal, Maria Aparecida Alkimim.

    14022018 materia cartilha dh Foto 4
    As cartilhas já integram o processo de aprendizados nas escolas municipais e estaduais da cidade de Lorena (Foto: Unisal)

    Pós-graduação e educação básica
    A professora destaca a importância da integração entre a pós-graduação e a educação básica. “Trata-se de algo elementar para promoção, defesa, exercício e real compreensão dos direitos humanos, além do despertar da importância de conhece-los e exercê-los de forma real e efetiva e não distorcida, tornando a pesquisa produzida no âmbito da pós-graduação algo concreto para corroborar na formação da juventude, revelando a participação solidária, cidadã e responsável da educação superior em prol da educação básica”, define Alkimim.

    As cartilhas possuem conteúdo objetivo, didático, ilustrativo, além do aspecto lúdico, com desenhos e ilustrações criados pelos estudantes (crianças e adolescentes). “Nesse sentido, o Programa de Mestrado em Direito do Unisal, que tem como área de Concentração a ‘Concretização dos Direitos Sociais, Difusos e Coletivos’ busca concretizar na comunidade lorenense e junto à comunidade estudantil e educativa ações concretas de responsabilidade social e de compromisso com a formação humana das crianças, adolescentes e jovens, destinando uma parcela de contribuição através de cartilhas sobre direitos humanos de cunho informativo, educativo e formativo”, explica a professora.

    A coordenadora do mestrado acredita que ações de integração favorecem todos os atores envolvidos no processo. “As crianças, adolescentes e jovens devem ter o privilégio de serem educados em e para os direitos humanos, sendo de suma importância a contribuição de Programa de Mestrado que desenvolve ensinamentos e pesquisas no campo dos Direitos Humanos, revelando que a pesquisa pode transcender os espaços das instituições e produzir bons frutos na formação humana infanto-juvenil”, conclui.

    14022018 materia cartilha dh Foto 3
    As cartilhas possuem conteúdo objetivo, didático, ilustrativo, além do aspecto lúdico, com desenhos e ilustrações criados pelos estudantes (Foto: Unisal)

    As cartilhas já integram o processo de aprendizados nas escolas municipais e estuduais da cidade de Lorena.

    Acesse as cartilhas preparadas pelo Programa:
    *Cartilha Direitos Humanos e Bullying
    *Cartilha Direitos Humanos e Juventude
    *Cartilha Direitos Humanos das Pessoas com Deficiências
    *Cartilha Direitos Humanos dos Idosos
    *Cartilha Direitos Humanos das Crianças e Adolescentes

    (Pedro Arcanjo – Brasília – CCS/CAPES)

    A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura “CCS/CAPES”

     


  • Programa de extensão lança cartilha ‘Violência Doméstica – Perguntas e Respostas’ em Libras

    Publicado em 18/12/2017 às 10:41

    Programa de extensão lança cartilha ‘Violência Doméstica – Perguntas e Respostas’ em Libras


  • Mostra de Cinema e Direitos Humanos – 03/11 e 17/11/2017 – UFSC/Araranguá-S.C

    Publicado em 28/10/2017 às 16:26

    Circuito Difusão 2017

    11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

    Criada em 2006 como uma das ações estratégicas da Secretaria Especial de Direitos Humanos para celebrar o aniversário da Declaração Universal de Direitos Humanos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, a Mostra Cinema e Direitos Humanos foi expandida ao longo dos últimos 10 anos e, atualmente, ocorre em todas as capitais federais do Brasil. A Mostra é uma das estratégias do Governo Federal para consolidação da cultura e da educação em Direitos Humanos, ampliando espaços de debate e discussão por meio da linguagem cinematográfica e contribuindo para a formação de uma nova mentalidade coletiva para o exercício da solidariedade, do respeito às diversidades e da tolerância. Nestes dez anos, a Mostra expandiu em alcance e em escopo – da América do Sul para o Hemisfério Sul, e no Mundo, além de contar, pelo quarto ano consecutivo, com cerca de 1.000 pontos de difusão pelo país, assumindo assim um caráter descentralizador e democrático.

    A 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos é realizada pelo Ministério dos Direitos Humanos.

    Mostra gratuita e aberta ao público em geral.

    Haverá certificado de extensão para os participantes.

    Programação: 03/11/2017

    Programação: 17/11/2017

    Formulário de inscrição: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdwUz0igyTgMkw3AP6-RTxoG_Giu2CPV3Z4FBFE2rWkFSpG6A/viewform

    Facebook Mostra Araranguá  https://www.facebook.com/events/430102134052481

    Facebook Mostra Nacional

    https://www.facebook.com/11amostracinemaedireitoshumanosbrasil/

    Coordenação geral do Projeto:

    Prof. Giovani M. Lunardi – UFSC/Araranguá.

    Prof.a Angelita D. Mendes – UFSC/Araranguá

    Coordenação da Mostra em Araranaguá: Mestrando PPGTIC Prof. Claudimir Geraldo Da Silva

    • Equipe do Projeto:

    Gabriela Leopoldino – Fisioterapia/UFSC

    Vanderleia Benedet Réus – PPGTIC/UFSC

    Natana Lopes Pereira – PPGTIC/UFSC

    Natalia  Marcos – TIC/UFSC

    Ricardo de Bittencourt  – TIC/UFSC


  • A Malalai oferece tecnologia para segurança pessoal feminina.

    Publicado em 09/10/2017 às 0:40

    http://malalai.com.br/

     

    Solução para mulheres que querem ser livres para se deslocarem sozinhas com segurança. Um aplicativo que mostra os pontos positivos e negativos da sua rota e avisa alguém sobre a sua localização de forma automatizada. Um relicário para pedir ajuda, caso seja necessário.


  • Lei Brasileira de Inclusão fortalece direitos das pessoas com deficiência

    Publicado em 07/10/2017 às 19:40

    http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2017/09/lei-brasileira-de-inclusao-fortalece-direitos-das-pessoas-com-deficiencia

    O Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência é celebrado nesta quinta-feira (21). Para assegurar dignidade e inclusão a cerca de 45 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência, o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei Brasileira de Inclusão), em vigor desde 2016, garante uma série de direitos relacionados à acessibilidade, educação e saúde, além de estabelecer punições para atitudes discriminatórias.

    A servidora pública, Gabriela Costa, conta que não enfrentou muitas dificuldades no mercado de trabalho por ter um tipo de distrofia muscular. Por outro lado, na escola e na universidade, a falta de adaptação das construções dificultava a locomoção por não serem adaptadas para pessoas com deficiência. “Na época em que eu estudava, não existia quase nenhuma regra de acessibilidade e vivi dificuldades nos prédios, a parte escolar foi bem mais difícil”, lembra.

    Para ela, a falta de acessibilidade é fator crucial para a integração das pessoas com deficiência na sociedade. “Acredito que essa parte do acesso determina muito mais a deficiência do que a deficiência em si. O fato de ser deficiente não impede a pessoa em nada: eu viajei, estudei, sou casada, sou mãe. Mas existem as barreiras físicas, culturais, e essas que dificultam”, comenta. “O preconceito ainda existe, mas as coisas melhoraram muito, e isso tem a ver com a postura da pessoa com deficiência, de ir para a rua, mostrar-se como trabalhador, estudante, que tem capacidade”.

    O secretário Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Ministério dos Direitos Humanos, Marco Pellegrini, crê que a data é importante por “causar uma reflexão sobre o estágio do processo de inclusão. O Brasil editou a Lei Brasileira de Inclusão regulamentando vários produtos e serviços para as pessoas com deficiência”. Atualmente, são mais de 32 serviços oferecidos pelo governo às pessoas com deficiência, e o objetivo é estender a cobertura para todas as cidades do País.

    Direitos

    No Estatuto, foi determinada a proibição da cobrança de valores adicionais em matrículas e mensalidades de instituições de ensino privadas. Além disso, o texto define que quem impedir ou dificultar o ingresso da pessoa com deficiência em planos privados de saúde está sujeito à pena de dois a cinco anos de detenção, além de multa. A mesma punição se aplica a quem negar emprego, recusar assistência médico-hospitalar ou outros direitos a alguém devido à deficiência.

    Empresas de táxi deverão reservar 10% das vagas para condutores com deficiência. Legislações anteriores já previam a reserva de 2% das vagas dos estacionamentos públicos para pessoas com deficiência, mas a nova lei garante que haja, no mínimo, uma vaga em estacionamentos menores. Os locais devem estar devidamente sinalizados, e os veículos deverão conter a credencial de beneficiário fornecida pelos órgãos de trânsito. A lei também exige que 10% dos dormitórios de hotéis e pousadas sejam acessíveis e que ao menos uma unidade acessível seja garantida.

    As habitações do programa Minha Casa Minha Vida também podem ser adaptadas para as necessidades das pessoas com deficiência. Desde 2011, todas as unidades habitacionais do programa são construídas de acordo com as normas de acessibilidade.

    No mercado de trabalho, empresas com 100 ou mais funcionários são obrigadas a preencher de 2% a 5% dos cargos com pessoas com deficiência, que podem procurar vagas no portal Mais Emprego. Já nos concursos públicos, há reserva de 5% das vagas.

    Benefícios

    As pessoas com deficiência de qualquer idade, com impedimentos de natureza física, mental, intelectual ou sensorial de longo prazo (que produza efeitos pelo prazo mínimo de 2 anos), têm direito ao Benefício da Prestação Continuada (BPC) no valor de um salário mínimo mensal. Para ter direito, é necessário que a renda por pessoa do grupo familiar seja menor que 1/4 do salário mínimo vigente. Mais informações sobre o agendamento estão disponíveis na página da Previdência Social.

    Fonte: Portal Brasil, com informações da Agência BrasilMinistério dos Direitos HumanosMinistério das CidadesPrevidência Social e Conselho Nacional de Justiça